Auditoria Receita-Federal21

Publicado em 10/03/2016 | por Mestre

Auditor: curso pode voltar a ser etapa eliminatória

O presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindfisco), Cláudio Damasceno, esclareceu que a cláusula 7 da proposta remuneratória, recém-aprovada pelo governo, refere-se à volta do curso de formação no próximo concurso de auditor-fiscal, como segunda parte da seleção, com caráter eliminatório. “A ideia é retornar a segunda fase, com o curso de formação, que tinha caráter eliminatório. Isso deixou de acontecer no concurso de 2012. Os auditores, porém, ainda não se pronunciaram sobre essa proposta. Isso está em análise pela categoria, porque é um pleito da Administração da Receita Federal”, assinalou.

Fontes ligadas à Receita, contudo, afirmam que a redação também voltará à seleção. Segundo elas, “seria um pacote de mudanças, visando à valorização do cargo de auditor”. Os desejos do órgão mostram que o concurso segue sendo pensado. Para que ele ocorra, é preciso que o Ministério da Fazenda reencaminhe o pedido das vagas, até 31 de maio, ao Ministério do Planejamento, após o anúncio da suspensão dos concursos federais, em setembro de 2015. Segundo Cláudio Damasceno, isso deverá ocorrer, pois é rotina do órgão e do ministério. No entanto, por conta do atual cenário de crise política e econômica no país, ele não acredita num aval este ano. “Isso (solicitação das vagas) temos todos os anos. Todos os órgãos, não só a Receita Federal, fazem esses pedidos”, disse.

O sindicalista alertou ainda para o quadro envelhecido de auditores, que torna o concurso necessário. “Há um grande número de aposentadorias previstas para os próximos anos e, certamente, precisamos repor, pelo menos, uma parte delas”, afirmou. Segundo o sindicato, são cerca de 600 aposentadorias por ano, e os auditores têm média de idade de 51 anos. O auditor, que hoje tem ganhos iniciais de R$16.201,64, passará a receber, a partir de agosto, R$18.754,20 já com o auxílio-alimentação de R$458, caso a proposta seja aceita pelos servidores.

O analista-tributário, cargo que também deverá ser contemplado, tem remuneração de R$9.714,42, que, em agosto, passará para R$10.623,92. A Receita Federal ainda não informou quantas vagas serão pedidas ao Planejamento. O órgão já havia feito uma solicitação, com 5 mil vagas, das quais 3 mil eram de analista-tributário e 2 mil de auditor-fiscal. Acredita-se que essa seja a base para a nova solicitação. Ambos os cargos são destinados a quem possui formação superior em qualquer área.

Especialista orienta para redação do concurso

Para a redação do concurso de auditor-fiscal da Receita Federal, os candidatos precisam “estudar com objetividade, serem disciplinados e, acima de tudo, persistentes, exercitando sempre as técnicas de redação”. Quem recomenda isso é o especialista em concursos Alexandre Lugon, que é auditor da Receita e leciona no curso Degrau Cultural. Segundo ele, o candidato deverá escrever com clareza e coerência. “É como uma ‘redação técnica’. Daí a necessidade de procurar mostrar conhecimento dos temas propostos. No último concurso, os temas variaram nas disciplinas de Direito Tributário, Comércio Internacional e Legislação Aduaneira”, observou.

Ainda de acordo com o especialista, que também é professor da Academia do Concurso e do curso Gabarito, o candidato não deve se preocupar em utilizar vocabulário difícil ou figuras de linguagem. Na visão de Alexandre, é preciso ser o mais objetivo possível, valer-se de argumentação adequada, tomar cuidado com o encadeamento dos parágrafos, sequência lógica, alinhamento do assunto abordado e cobertura dos tópicos apresentados.

“O segredo é ter a capacidade de se expressar da melhor forma possível com poucas palavras, sendo conciso. O candidato deve ainda evitar frases longas, pois períodos longos tendem a levar à fuga do tema proposto. Importante ainda atentar para a utilização correta do vocabulário, ortografia e normas gramaticais, bem como treinar a caligrafia, utilizando letra cursiva e escrever de forma legível. Crucial também não desrespeitar o número de linhas estipulado. Cabe lembrar ao candidato não usar gírias”, orientou. A diferença da prova discursiva do próximo concurso em relação ao exame de 2014 será a redação. Na ocasião, foram cobradas duas questões discursivas. O modelo da avaliação da próxima seleção deverá ser semelhante ao de 2012, com três questões e uma redação (40 a 60 linhas). Será aprovado quem conseguir 60% dos pontos.

BANNERBLOG


Sobre o autor



Comments are closed.

Back to Top ↑