Administrativa no image

Publicado em 28/03/2013 | por Mestre

Banco Central

Veja como se preparar para o concurso….

Quem deseja iniciar uma carreira no Banco Central do Brasil deve começar já a estudar para o próximo concurso. Após uma longa espera saiu, finalmente, a autorização para o concurso (Portaria 81 do Ministério do Planejamento). Serão 515 vagas no total: 100 para técnico (nível médio), 400 para o cargo de analista (nível superior), e 15 de procurador (bacharelado em direito e inscrição na OAB).

O quantitativo de vagas autorizado foi muito menor do que o solicitado, mas vale lembrar que, de acordo com o Decreto 6.944/09, o Ministério do Planejamento poderá autorizar a convocação de 50% a mais de aprovados, em relação ao número inicial de vagas oferecido no edital.

O prazo para a publicação do edital é de seis meses a partir da portaria, mas deve sair bem antes disso, já que a instituição tem urgência na realização do concurso e o edital deve estar bem adiantado.

O último concurso foi organizado pela Fundação Cesgranrio e aconteceu em 2009 para os três cargos. Assim, a melhor referência de estudo é mesmo o edital anterior. Sempre podem acontecer alterações no conteúdo programático cobrado, mas é melhor fazer ajustes após a publicação do edital – que são naturais nesse tipo de preparação – do que ficar parado. O tempo entre o edital e a prova pode não ser suficiente para assimilar a quantidade de conhecimentos cobrada, além de o candidato ficar muito atrás da concorrência.

Técnico
Os cargos de nível médio costumam estar distribuídos em duas áreas de atuação: a área 1 compreende atividades de apoio e suporte, com características mais administrativas; já a área 2 é voltada para atividades de segurança.

As disciplinas cobradas como conhecimentos gerais para os dois cargos no concurso anterior são compatíveis com o que costuma ser cobrado em concursos de nível médio administrativo: português, direito constitucional, direito administrativo, atualidades, raciocínio lógico.

Os conhecimentos específicos para o cargo da área 1 foram: contabilidade, gestão de pessoas e gestão de recursos materiais. Exceto a contabilidade, as outras duas disciplinas também são comumente cobradas em outros concursos administrativos.

Para a área 2, como seria de esperar, os conhecimentos específicos são teoria e normas de segurança e legislação relacionada à atividade, tal como a lei 10.826/03 (estatuto do desarmamento).

O salário é atraente – R$ 4.917,28 –e quem já vinha estudando para concursos de nível médio, mesmo para a área de tribunais, pode aprofundar o estudo das disciplinas comuns aos dois focos e aguardar o edital para tomar a decisão de investir ou não no Bacen. Dessa forma, não haverá perda, já que o conhecimento adquirido será útil para futuras oportunidades.

O concurso de 2009 não cobrou prova discursiva para técnico, mas não é improvável que o próximo edital inclua algo no gênero, já que tem sido uma tendência atual, mesmo para cargos de nível médio.

Fonte:  Lia Salgado, colunista do G1,  fiscal de rendas do município do Rio de Janeiro, consultora em concursos públicos

Tags: , , , , , , , ,


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑