Administrativa no image

Publicado em 21/05/2013 | por Mestre

Banco Central

Banco pretende divulgar o edital em breve….
O diretor de Administração do Banco Central (BC), Altamir Lopes, informou que a instituição está trabalhando para divulgar em breve o edital do concurso para 515 vagas de técnico (nível médio), analista e procurador (ambos de nível superior), autorizado em março pelo Ministério do Planejamento. “Estamos trabalhando para divulgar logo o edital, mas não tenho como dizer uma data. A nossa expectativa é contar com os novos servidores no início de 2014”, projetou. As declarações foram dadas no último dia 16, durante o XV Seminário Anual de Metas para a Inflação do Banco Central, realizado no Rio de Janeiro.
Como já havia informado o chefe adjunto do Departamento de Gestão de Pessoas do BC, Delor Moreira, a previsão é que o edital seja divulgado no fim de julho. Antes disso, a autarquia precisa contratar a organizadora que será responsável por conduzir a seleção. Segundo Altamir Lopes, a organizadora ainda não foi escolhida. A definição deverá ocorrer, provavelmente, até o fim deste mês, como informou a Assessoria de Imprensa do BC.
Ainda de acordo com o diretor de Administração do banco, outros pontos ainda seguem sendo avaliados, como a possibilidade do concurso ser regionalizado (com as vagas para cada região sendo informadas já no edital, para escolha dos candidatos) e a distribuição das vagas por região, o que vai depender do processo de movimentação interna de servidores. Segundo Delor, do Depes, o concurso de remoção deve ser concluído este mês.
Para o diretor nacional de Assuntos Previdenciários do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), Sérgio Belsito, os indícios são de que haverá vagas ao menos para nove das dez capitais onde o banco possui unidades, entre elas o Rio de Janeiro. Segundo Belsito, que preside o Sinal no Estado do Rio, há dúvida apenas com relação a Belo Horizonte. “Todas as outras capitais devem contar com vagas”, aposta  o sindicalista. Além de Brasília, onde fica a sede, Rio e Belo Horizonte, o BC possui representações em São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Recife, Fortaleza e Belém.
Oferta – Serão oferecidas 100 vagas para o cargo de técnico, cuja remuneração inicial é de R$5.531,23, já com o auxílio-alimentação, de R$373. Em entrevista concedida em setembro do ano passado, logo após o pedido do concurso ter sido encaminhado ao Planejamento, Delor afirmou que para o cargo, provavelmente, haverá uma quantidade expressiva de vagas para a área de suporte técnico-administrativo, que na última seleção, em 2009, teve concorrência de 2,1 mil candidatos para cada vaga de ampla concorrência (141.047 inscritos para 67 vagas).
Para analista haverá 400 vagas, e para procurador, 15. No caso de analista, que proporciona remuneração inicial de R$13.968,85 (também com o auxílio), ainda serão definidas as áreas para as quais haverá vagas. No concurso de 2009, elas foram distribuídas por seis áreas de atuação. Para todas, o requisito básico foi o ensino superior completo em qualquer área de conhecimento.
O cargo de procurador será aberto aos bacharéis em Direito com experiência mínima de dois anos de prática forense. Os ganhos mensais são de R$16.092,13, no início da carreira (incluindo o auxílio).
Previsão inicial é que as provas ocorram em setembro
Embora ainda não tenha sido confirmado pelo BC, o mais provável é que para os cargos de técnico e analista seja mantida a configuração do último concurso, aberto em 2009, assim como já está garantindo no caso de procurador. Dessa forma, os candidatos àqueles dois cargos terão passarão por provas objetivas, prova discursiva (apenas para analista), avaliação de títulos (dependendo da área de atuação), sindicância de vida pregressa e programa de capacitação. As provas escritas estão previstas, em princípio, para setembro.
Conforme portaria publicada em abril, a seleção para procurador será composta por prova objetiva, três provas discursivas, prova oral e avaliação de títulos, sindicância de vida pregressa e curso de formação. Também foi estabelecido que as avaliações ocorrerão pelo menos nas dez capitais onde o banco possui unidades: Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Recife, Fortaleza e Belém. A prova oral e o curso de formação serão realizados apenas em Brasília.
Para técnico e analista, segundo o chefe adjunto do Departamento de Gestão de Pessoas do banco, Delor Moreira, o BC cogita aplicar provas apenas nas capitais onde houver vagas. Entretanto, há o receio de que essa opção gere questionamentos do Ministério Público.
No que diz respeito ao programa, Delor afirmou que o conteúdo ainda está sendo discutido, e que será divulgado somente no edital. Na entrevista concedida em setembro do ano passado, ele chegou a afirmar que 90% do programa anterior seria aproveitado. “Alguma mudança, só eventual, possivelmente em função de algum ajuste de demanda que as unidades do banco façam ao nosso departamento”, disse ele na ocasião.

Fonte: Folha Dirigida

Tags: , , , , , , ,


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑