Categorias no image

Publicado em 26/02/2013 | por Mestre

Bombeiro – Soldado Combatente

Definição de vagas  no início de Março…..
O Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) informou, na última sexta-feira, dia 22, que a reunião entre o comandante-geral, coronel Sérgio Simões, e o governador Sérgio Cabral deverá ocorrer no início de março, para garantir a autorização formal do concurso para soldado combatente.
Em princípio, a oferta será de 600 vagas, sendo 300 para serem preenchidas este ano e as outras 300, em 2014. O edital está previsto para ser publicado neste semestre. Além das vagas para soldado combatente, o comandante-geral quer aval para concurso também para os cargos de guarda-vidas e soldado músico, além de convocar mais aprovados na última seleção para soldado motorista.

O cargo de soldado combatente requer o nível médio e Carteira Nacional de Habilitação na categoria “B”. A remuneração inicial é de R$2.526,80. Para concorrer, os futuros candidatos deverão ter menos de 51 anos, no ato de posse. O regime de contratação será o estatutário, garantindo a estabilidade empregatícia.

Os futuros candidatos a soldado combatente devem tomar por base o programa do concurso para soldado motorista, realizado no ano passado. No entanto, apenas serão cobradas as disciplinas de Português e Matemática, sendo excluída Legislação de Trânsito.

O último concurso para guarda-vidas do CBMERJ foi organizado pela FunRio, em 2008, para 300 vagas. Podiam participar os candidatos nascidos a partir de 1º fevereiro de 1984. Além disso, era necessário
ter altura mínima de 1,60m (para ambos os sexos); ser brasileiro; estar em dia com as obrigações eleitorais e militares e possuir os documentos comprobatórios da escolaridade exigida para o cargo(ensino
médio completo).

Na época, os candidatos foram avaliados por meio de prova objetiva, teste de aptidão física (corrida de meio fundo de 2.400 metros, corrida de velocidade de 100 metros, abdominal com 35 repetições, barra com 3 repetições e natação de 50 metros), teste de habilidade específica e exames de saúde, social e documental. O exame objetivo constou de 40 questões, distribuídas por Língua Portuguesa e Matemática.

A última seleção para sargento músico foi organizada pelo Centro de Recrutamento e Seleção de Pessoal (CRSP) do CBMERJ, em 2001, para 52 vagas. Puderam participar os candidatos com, no mínimo, 18 e, no
máximo, 35 anos de idade no dia 28 de fevereiro de 2002. Além disso, era necessário ter altura mínima de 1,60m, para homens, e de 1,50m, para mulheres, e nível médio completo. Na época, os candidatos foram
avaliados por meio de exame intelectual (prova objetiva, prática e oral), teste de capacitação física, exames de saúde, psicológico, pesquisa social e documental.

Especialistas orientam estudo antecipado

Aqueles que desejam concorrer ao cargo de soldado combatente do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) já devem iniciar a preparação, e não esperar pelo edital, mesmo que só sejam cobradas apenas duas disciplinas. Para aprimorar os estudos dos interessados, veja orientações dos professores André Barreto e Valdenir Peixoto, sobre Matemática e Português, respectivamente, com dicas de estudo e os pontos mais relevantes de cada matéria. Em uma seleção como essa, é fundamental que o futuro candidato esteja bem preparado, pois a concorrência costuma ser grande. Veja abaixo os depoimentos:

“O CBMERJ deverá manter o conteúdo cobrado nos últimos concursos. O foco são, exatamente, os conteúdos de álgebra, aritmética e geometria que são vistos normalmente no ensino fundamental. Dentro dessa perspectiva, podemos ressaltar alguns importantes temas a serem estudados. Em aritmética, razões, proporções, regra de três e porcentagem; em álgebra, equações, sistemas e problemas de 1º e 2º
grau; em geometria, estudo da métrica do triângulo retângulo e áreas de figuras planas.

O fato de haver apenas duas disciplinas não torna, de modo algum, o concurso mais fácil. Em Matemática, por exemplo, a quantidade de tópicos é enorme, podendo o examinador, dentro desse contexto, complicar bastante a vida do candidato.

O aluno deve estudar para este concurso de modo sequencial, observando os conceitos e, sobretudo, exercitando através de questões de níveis crescentes de dificuldade, bem como resolver provas de concursos passados. Normalmente, a maior dificuldade dos candidatos deste concurso está na geometria. Uma fonte muito boa, que engloba todo esse conteúdo, é o volume 9 do livro ‘Fundamentos da Matemática Elementar’, dos professores Osvaldo Dolce e Nicolau Pompeo”, orienta o professor André Barreto.

“O conteúdo programático de Português, cobrado pelas bancas examinadoras, centra suas questões (mesmo que publiquem uma programação extensa) em ortografia, verbos, regência, crase, concordância, conjunção, pontuação e pronomes. Por exemplo, em pronomes, a preferência fica por conta dos relativos e oblíquos, resvalando para a colocação pronominal. Explorar a produção linguística, a partir das provas das bancas, é o modelo mais eficaz de estudo. Além disso, ser acompanhado por um professor, para que ele dê o norte nos estudos, só agrega eficiência.

O estilo mnemônico das provas é coisa do passado. Hoje, a chamada contextualização dos fatos gramaticais, ou seja, a teoria morfossintática aplicada ao contexto textual, predomina na feitura das questões. A leitura detida dos textos, observando o tópico frasal de cada parágrafo, ajuda a sedimentar a tese proposta pelo autor do artigo lido, facilitando, assim, a interpretação do conteúdo linguístico e semântico.

Fonte: Folha Dirigida

Tags: , , , , , , , , , ,


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑