Categorias no image

Publicado em 17/09/2012 | por Mestre

Bombeiro – Soldado Motorista

Provas acontecem com tranquilidade
Nem o sol de 40º graus foi suficiente para desanimar os candidatos do concurso para soldado motorista do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) de realizarem as provas objetivas, que foram aplicadas sem grandes problemas neste domingo, 16. Na faculdade Gama Filho, em Piedade, os portões foram fechados pontualmente às 14h, e as avaliações seguiram tranquilamente até as 18h, assim como o previsto.
Para Júlio César Martins, que é agente de segurança e tem 32 anos, a estabilidade foi a maior motivação para a inscrição no concurso. “A gente quando trabalha em empresa privada não tem aquela garantia do serviço público, então resolvi participar desta seleção para tentar obter uma carreira estável. Deveria ter me preparado melhor, mas creio que vou passar na prova objetiva. Sendo aprovado, muita coisa mudaria na minha vida. Atualmente, trabalho em vários lugares ao mesmo tempo e, se eu passar, vou focar em um emprego só.”
O colega Sérgio Ezequiel, motorista de 44 anos, também é candidato e concorda com Júlio. “Quis participar do concurso por gostar e me identificar com a corporação. Além disso, por se tratar de um emprego seguro. Estudei bastante e estou muito confiante para a prova de hoje”, garantiu, sendo complementado pelo motorista de coletivo Marcos Antônio, de 36 anos. “Hoje em dia estamos à procura de um trabalho melhor que garanta estabilidade para podermos cuidar melhor de nossa família. Sem contar que gosto muito da área militar”, declarou o concorrente.
Mas nem todo mundo ficou feliz neste domingo de calor e céu azul. Alguns candidatos se atrasaram e consideraram o ocorrido como uma grande decepção. “Estou muito chateado por perder essa prova,
principalmente porque saí cedo de casa. O problema é que não tem estacionamento aqui e eu fiquei mais de uma hora procurando vaga. Resultado: parei meu carro praticamente em outro bairro e vim a pé”, disse o motorista Jorge Luiz Borges, de 35 anos.
O xará e também atrasado Jorge Oliveira, que é agente de segurança, compartilha de sua opinião. “Tive problema para achar vaga. Demorei cerca de 25 minutos para estacionar.” A mesma situação ocorreu com o motorista de 39 anos José Carlos Santana. “Estou muito chateado. Sinto que nadei e morri na praia. Queria muito passar neste concurso para ter estabilidade. Acontece que tive problemas com o trânsito e não encontrei lugar pra parar o carro aqui. Fiquei mais de 30 minutos rodando para achar vaga e parei meu carro em um local onde ainda corro o risco de ser rebocado.”
Fonte: Folha Dirigida

Tags: ,


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑