Categorias no image

Publicado em 24/07/2012 | por Mestre

Comparação de Salários

Salários das mulheres cresceu mais do que o dos homens no 1º Semestre

Os salários médios de admissão das mulheres cresceram mais que os dos homens no primeiro semestre, segundo dados divulgados pelo Ministério do Trabalho (MTE) nesta segunda-feira (23). Para elas, a alta foi de 6,15%, enquanto para eles ficou em 5,94%. Apesar da alta maior, os salários médios de admissão das mulheres ainda representam 86,42% dos salários dos homens – em 2011, essa proporção era de 86,25%.

Segundo os dados do MTE, no conjunto, os salários médios de admissão das vagas com carteira assinada apresentaram um aumento real, isto é, acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor, de 5,90% no primeiro semestre, passando de R$ 946,79 em 2011, para R$ 1.002,64 nos seis primeiros meses deste ano.

“Os dados mostram tendência de crescimento nos salários médios reais de admissão no período de 2003 a 2012, com aumento real de 40,92%, ao passarem de R$ 711,51 para R$ 1.002,64, respectivamente. Esse resultado decorreu do aumento de 44,62% para os homens e 35,73% para as mulheres”, informou o governo federal.

Em termos geográficos, os dados do Caged relativos ao primeiro semestre de 2012 apontam “elevação generalizada” entre os estados. Os maiores ganhos reais foram verificados no Acre (+13,48%), Sergipe (+9,92%), Pará (+9,18%), Rio Grande do Norte (+8,92%), Pernambuco (+8,41%), Distrito Federal (+8,32%) e Mato Grosso (+8,19%).

Por grau de instrução, todos os níveis de escolaridade, segundo o gênero, registraram ganhos reais nos salários médios de admissão no primeiro semestre de 2012. “Os dados do Caged apontam, no semestre, uma maior representatividade das mulheres nas faixas de escolaridade mais baixas, desde o nível de analfabeto (92,88%), até o quinto ano completo do ensino fundamental (82,89%)”, informou o governo.

Por outro lado,acrescentou o Ministério do Trabalho, verificam-se nos níveis de instrução superior completa (61,18%) e superior incompleta (78,55%), nos quais o número de mulheres é maior que o de homens, as menores representatividades na relação dos salários femininos/masculinos.

Fonte: Site G1

Tags:


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑