Categorias no image

Publicado em 21/11/2012 | por Mestre

Correios

Empresa faz levantamento para definir vagas e cargos
Os Correios estudam para ver quantas vagas e quais cargos e localidades serão contemplados no próximo concurso, destinado somente aos estados e carreiras que estão sem cadastro de reserva previsto para o primeiro trimestre de 2013, de acordo com o Sistema de Acesso à Informação, o serviço de informações ao cidadão do governo federa. A realização da avaliação da capacidade física laboral para 19 mil aprovados na seleção de 2011 (para quem se candidatou a carteiro e operador de triagem e transbordo) vai facilitar que o levantamento aponte onde não há aprovados e, portanto, necessita de um novo concurso.
A maioria das oportunidades será destinada ao preenchimento de cargos de nível médio, ou seja, carteiro, operador e atendente comercial. A remuneração é de R$1.871,86 ou R$1.765,38, sendo R$1.004,02 de vencimentos iniciais, R$718,74 de vale-alimentação para quem trabalha 27 dias por mês e R$612,26 para 23 dias, e R$149,10 de vale cesta-básica.
Além disso, deverá haver vagas para as carreiras de técnico de operação e técnico de atendimento e venda, que exigem o nível médio/técnico. Nesse caso, a remuneração é de R$2.653,84 ou R$2.547,36, sendo R$1.786,14 de salário inicial mais os auxílios.
Já para o superior, as funções deverão ser as mesmas da última seleção, realizada em 2011, como enfermeiro do trabalho, engenheiro de segurança do trabalho, médico do trabalho, analista de saúde em Medicina e Odontologia, e analista de Correios, entre outras. A remuneração é de R$4.608,35 ou R$4.501,87, sendo R$3.740,51 de vencimento-base. A estatal ainda oferece benefícios como vale-transpote, plano de saúde, plano medicamento e auxílio-creche, entre outros.
No concurso de 2011, os candidatos passaram por uma prova objetiva, com questões de Conhecimentos Básicos (Língua Portuguesa, Informática, Inglês e Administração Pública) e de Conhecimentos Específicos, cujo conteúdo variou de acordo com o cargo. Depois, ainda houve uma avaliação de capacidade física laboral somente aos concorrentes a carteiro e operador.
Terceirizados devem ser substituídos
Os Correios não podem mais contratar terceirizados para as atividades-fim da empresa, como recebimento, triagem, encaminhamento e transporte de objetos postais. A decisão é da 13ª Vara do Trabalho de Brasília, que também proíbe que a estatal abra licitação para a contratação desses serviços, com multa de R$500 mil caso haja descumprimento.
A ação foi ajuizada pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos (Fentect). De acordo com o sindicato, os Correios têm um ano para regularizar as contratações, com o desligamento de todos os empregados contratados sem concurso público.
A Assessoria de Imprensa da estatal informou que os Correios irão recorrer da decisão, pois não há terceirizados em atividade-fim, apenas contratados por concurso ou temporários. “A empresa não terceiriza sua atividade-fim. Os Correios contratam efetivo próprio por concurso: em 2011, foram 10 mil contratados, e até o final de 2013, serão mais 9.904”, afirmou, em nota.
Ainda segundo a assessoria, os Correios contratam mão de obra temporária para atender ao aumento de trabalho sazonal (Dia das Mães, Dia das Crianças, Natal, operações especiais, como Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), ou distribuição de livros didáticos).
Fonte: Folha Dirigida

Tags:


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑