Categorias no image

Publicado em 10/08/2012 | por Mestre

Dicas

O caminho do ouro nos concursos

A cada quatro anos o planeta volta suas atenções para a Olimpíada, que atrai milhões de espectadores ao redor do mundo.  As competições,  este ano, ocorrem em Londres e em 2016 serão realizadas no Rio de janeiro. Atletas de diversos países buscam a vitória. O Brasil soma, até o momento, duas medalhas de ouro, uma com a judoca Sarah Menezes e outra com o ginasta Arthur Zanetti, que encheram o povo brasileiro de orgulho.  Conquistar o primeiro lugar é também o sonho de muitos candidatos de seleções que, por vezes, participam de disputas tão acirradas quanto as enfrentadas por atletas olímpicos. Veja os concurseiros que já conquistaram o ponto mais alto do pódio, já contam com a glória da ‘medalha de ouro’. Verdadeiros campeões na área dos concursos.

Para Carlos Eduardo Carrilho, aprovado em primeiro lugar no concurso para fiscal de rendas do Estado do Rio de Janeiro no ano passado, todo o tempo livre era dedicado aos estudos. E ele confessa; não foi fácil chegar ao topo. “Foi uma preparação que durou anos. Digo isso não para assustar quem quer começar agora, mas para deixar bem claro que vários fatores influenciam para se chegar a um resultado desses. E um fator primordial no meu caso foi a ‘bagagem’ adquirida depois de tanto tempo estudando tanta coisa. Minha preparação foi relativamente simples em termos práticos. Todo tempo livre que eu tinha eu estudava. Estudei pelo Canal dos Concursos. Eu já tinha estudado para outros concursos e, então, abri mão do curso presencial. Não fiz um planejamento com quadro de horários ou esquemas de matérias. O que eu fiz foi pensar como eu faria para ter o maior tempo possível para estudar. Eu já estava casado e trabalhando, ou seja, um homem com algumas responsabilidades importantes, mas tive total apoio da minha esposa nessa caminhada”, conta, traçando um paralelo entre o apoio familiar e o da torcida, que tanta força dá aos atletas nos momentos críticos de disputa.

Fiscal de rendas nunca teve a meta de ser o primeiro. O objetivo era ser aprovado

“Não passava pela minha cabeça ser o primeiro, pois eu sabia que eram 100 vagas e eu precisava estar nesses 100. Essa era a minha meta, fazer o meu melhor para passar. Sabia que tinha chances de ficar entre os primeiros pelo meu histórico em concursos, mas essa questão da primeira colocação não fazia parte dos meus pensamentos, até porque poderia aumentar a pressão e isso atrapalha bastante o concurseiro. Passar em primeiro lugar não me deixou emocionado de cara, a primeira emoção veio do fato de ser aprovado independentemente da colocação, e estar aprovado me deixou bastante emocionado por tudo que eu sabia que viria a seguir. Aos poucos é que foi ‘caindo a ficha’ de ter sido o primeiro colocado de um dos concursos mais difíceis do Brasil. Dá um certo orgulho e mexe com o ego de qualquer um… Mas o que mais me deixou feliz foi o fato de saber que meus pais, minha esposa,família e amigos terem ficado orgulhosos de mim”, declarou Carrilho.

Conquistar o primeiro lugar em um concurso disputado não é algo fácil. Em alguns casos, nem mesmo quem alcança o topo acreditava que fosse capaz de conseguir tal feito. É o caso de Felipe Loureiro, que passou em primeiro para o cargo de técnico de arquivo do BNDES, em concurso aberto em 2011. “Nunca achei que fosse conseguir esse destaque todo, era algo utópico. Eu sempre achava que havia pessoas mais bem preparadas que eu, e caso fosse bem, sempre achava que a prova estava fácil e que, com isso, todos os concorrentes também teriam tido um bom resultado. Ser primeiro lugar é algo muito gratificante, é uma recompensa para muito estudo e sacrifício. A sensação é a melhor do mundo, é de dever cumprido. Esse resultado me ajudou a acreditar mais em mim. Nunca acreditei que conseguiria ser primeiro lugar, achava isso impossível. Agora sei que posso, só basta querer“, comentou Felipe.

Segundo Felipe,  o segredo do sucesso é não desanimar nunca, e se fortalecer nas derrotas. “Já tive resultados negativos, mas ao invés de lamentar, peguei a ‘raiva’ da reprovação e a transformei em estudo. Então, a minha principal dica é não desistir, seja por cansaço, seja por reprovações, falta de tempo… tudo isso nós podemos superar! E recomendo ainda que cada um descubra a melhor forma de estudar. Outro ponto muito importante é conhecer bem a banca organizadora, professores… As provas antigas são as melhores fontes para isso. Cada banca tem uma linha de pensamento”, declarou.

Escolha do concurso é, na verdade, a primeira fase da disputa

Para Tatiana Cavalcanti, primeira colocada em gestão de TI da Casa da Moeda, para chegar ao topo do pódio é preciso analisar a carreira antes. “Primeiro, acredito que é preciso pesquisar as áreas e os cargos pelos quais você tenha mais interesse e conhecimento, bem como facilidade  para aprender. Pense que a escolha de agora vai determinar o profissional que você será amanhã. Estudar para um cargo do qual você não gosta poderá lhe trazer insatisfação no futuro. A conquista da vaga não deve ser vista como um fim, mas apenas como um dos passos para o que deve estar como objetivo no futuro: ser um profissional competente, motivado e satisfeito com a função escolhida. Com isso definido, é preciso montar um cronograma de estudos, distribuir a carga horária entre as matérias e tentar ser disciplinado no cumprimento daquilo a que você se dispôs a fazer. É difícil, mas é necessário. A prática de exercícios físicos, num paralelo à rotina dos atletas, pode até ajudar. Acho interessante aliar os estudos a momentos de lazer, pois não somos máquinas e nem pretendemos ser. Estudar é preciso, viver também”, comentou Tatiana.

Alguns concurseiros fazem dezenas de seleções até chegar a aprovação. Outros perseguem um pouco mais além… Fazem mesmo questão do primeiro lugar. Querem pendurar no peito a ‘medalha de ouro’. Símbolo olímpico que, como diria uma personagem de popular programa humorístico de TV, lhes garante o status de ‘melhor do melhor do mundo’…  Alexandre Luna fez quase 30 concursos até passar em primeiro em um deles – foi para o cargo de técnico de apoio especializado do Ministério Publico da União.

“Já fui aprovado em outros concursos, mas não fui nomeado. Antes dessa ‘medalha de ouro’, fui aprovado na Escola de Sargentos das Armas do Exército (EsSA) em 123º lugar, onde trabalhei por oito anos. Já fiz muitos concursos, em uma primeira época apenas os militares, na fase dos meus 13 aos 20 anos. E, depois, passei a disputar concursos civis. Juntando as duas esferas, acho que já fiz uns 30”, comentou. O primeiro lugar marcou Alexandre. “Ao saber que fui aprovado em 1º lugar fiquei muito emocionado. Lembro até hoje: foi um sábado, 6h30 da manhã, estava indo para a Academia do Concurso. Não esperava esta coroação, mas ela foi muito bem recebida e comemorada”, declarou o campeão, que ainda vibra com o doce sabor da vitória. Para o psicólogo e coach Alexandre Maia, o primeiro lugar, alcançado em um concurso, é algo que o candidato leva por toda vida. “Passar em primeiro é uma vitória da qual o concurseiro nunca vai esquecer, irá servir sempre como um fator motivador, frente a qualquer dificuldade e desafio que tiver na vida. É um evento extremamente significativo, a pessoa sempre irá usar essa vitória como uma mola impulsora para outros desafios. Realmente é para a vida toda”, declarou o coach.

No mais, o importante é ter em mente que ser primeiro lugar é bom para o ego, exatamente pelo fato de a meta ter sido alcançada com o máximo êxito. Porém, o fundamental mesmo é conseguir a tão sonhada vaga pois, qualquer que seja a posição, todos os aprovados em concursos são, por definição, ‘medalhas de ouro’. Caso não consiga de primeira, segunda, ou terceira, o importante é não desistir. Manter sempre em dia a preparação e o fôlego de atleta. O mundo dos concursos, assim como o dos esportes, está cheio de histórias de superação, de pessoas que tanto lutaram, sonharam, passaram por grandes dificuldades e enfrentaram de peito aberto seus concorrentes. Puseram-se à prova até a realização da meta inicial. Acredite. Você consegue. Afinal, não é por acaso que existe a máxima de que ‘brasileiros não desistem nunca’. O lugar mais alto no pódio pode ser seu.

Fonte: Folha Dirigida

Tags: ,


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑