Administrativa no image

Publicado em 12/03/2013 | por Mestre

MPU

Cresce expectativa pela liberação do edital…
Cresce a expectativa pelas definições acerca do concurso para técnicos (médio e médio/técnico) e analistas (superior) do Ministério Público da União (MPU). Segundo informações, o órgão pretende escolher a instituição organizadora até o fim de março, para, em seguida, publicar o edital, em abril. De acordo com a Secretaria de Gestão de Pessoas do MPU (SGP/MPU), a seleção deve preencher, ao menos, 70 vagas, criadas após as remoções internas realizadas recentemente, além de formação de cadastro de reserva. No entanto, um possível aumento no número de vagas ainda não está descartado.
A seleção será para todos os estados. Atualmente, a comissão do concurso também analisa quais especialidades serão contempladas. Após nomeação, o novo servidor pode ser designado para qualquer um dos quatro ramos que compõem o MPU: Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e Ministério Público Militar (MPM). A lotação dependerá da classificação geral no concurso. Sobre as provas, dada a urgência de pessoal, poderão ser aplicadas em até 90 dias, contados a partir da divulgação do edital.
A respeito do programa, a Assessoria de Comunicação Social do órgão já informou que poucas mudanças devem acontecer em relação ao último concurso, realizado em 2010. Além disso, é praticamente certa a oferta de vagas para técnico da área administrativa, função que requer apenas o nível médio e que, diante disso, sempre é uma das mais concorridas. Atualmente, os servidores do MPU possuem remunerações iniciais de R$5.345,03 (técnico) e R$8.276,42 (analista), incluindo o auxílio-alimentação, de R$710, além de outros benefícios.
Em 2010, o MPU ofereceu 594 vagas para profissionais de mais de 50 especialidades. Porém, ao final da seleção, foram mais de 3 mil servidores nomeados, o que corresponde a aproximadamente seis vezes o número estipulado. O concurso foi organizado pelo Cespe/UnB e teve validade de um ano, prorrogável por igual período. Na ocasião, os candidatos prestaram provas objetiva, discursiva, física e prática, sendo que as três últimas foram somente para alguns cargos. Os novos funcionários do MPU seão contratados no regime estatutário, ou seja, com garantia de estabilidade.

Planejamento estratégico é tema certo nas provas de Administração

Com a seleção para técnicos e analistas do Ministério Público da União (MPU) se aproximando – edital previsto para abril -, cresce a expectativa dos interessados em concorrer a uma das vagas, neste que é um dos concursos mais aguardados de 2013. Para contribuir com os futuros candidatos,  Rodrigo Lelis, professor dos cursos preparatórios dá dicas. Rodrigo é especialista em “Noções de Administração Pública”, que provavelmente constará no próximo edital.

O professor esclarece que a matéria aborda, basicamente, a organização das instituições que compõem o Estado brasileiro, apontando caminhos para a sistematização do conhecimento e aplicação prática no desenvolvimento de políticas públicas. Sobre o que foi cobrado na seleção anterior, ele lembra: “No concurso realizado em 2010, o foco foi a estrutura organizacional, critérios de departamentalização e planejamento estratégico. É bem possível que isso se repita”. O professor afirma que a palavra para quem almeja se tornar um servidor em um órgão tão concorrido é equilíbrio. Ele crê que a aprovação do concurseiro acontece devido ao meio termo na hora de estudar as disciplinas exigidas. “Todas as matérias são importantes. Se o aluno encontrar a harmonia na preparação, e não privilegiar esse ou aquele conteúdo, terá mais chances de passar”, diz.
Sobre a indefinição da organizadora, o professor aposta que deve ficar entre a Fundação Carlos Chagas (FCC) e o Cespe/UnB. A confiança é tanta, que durante a preparação ele indica as provas dessas instituições aos alunos. “Oriento a resolução de exercícios dessas bancas (FCC e Cespe/UnB). Exercitar-se é o diferencial. Procurar um preparatório e adquirir uma apostila de editora consagrada, também serve de apoio. Não deve haver alteração no edital – comparado ao de 2010 – e sempre digo: estude planejamento estratégico na administração pública. Isso cai em todas as provas, sobretudo nas da FCC e do Cespe/UnB”, indica.
Por fim, Rodrigo Lelis entra na relação estudo-trabalho-lazer. Ele aconselha que o concurseiro se organize para não negligenciar nenhuma área da vida e para lidar bem com o estresse natural do momento. “Passar exige planejamento. Estabeleça um cronograma flexível de estudo, aumentando o ritmo semanalmente. Pratique atividade física, pois ela auxilia na preparação, tanto física quanto mental, já que é inegável que essa fase cria uma pressão psicológica no candidato”, orienta.

Fonte: Folha Dirigida

Tags: , , , , , , ,


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑