Militar 02-09-02

Publicado em 02/09/2014 | por Mestre

PMERJ: Veja gabarito oficial e fundamentação para recurso

Na tarde do domingo, 31 de agosto, ocorreu a primeira etapa da avaliação dos 105.458 aspirantes ao cargo de soldado do concurso com 6 mil vagas da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PM-RJ). A Exatus, organizadora da seleção, já divulgou os gabaritos oficiais preliminares, com abertura de prazo de até sete dias corridos para a interposição de recursos. Os candidatos foram submetidos a 40 questões objetivas, distribuídas pelas disciplinas de Português (dez), História, Geografia, Sociologia, Informática, Legislação de Trânsito e Direitos Humanos (com cinco questões cada), além de uma Redação. Para ser aprovado nessa fase inicial, será necessário pontuar em todas as matérias, isto é, não zerar qualquer disciplina, alcançando o mínimo de 50% na soma das notas das avaliações. As provas foram aplicadas em diversas cidades do Rio de Janeiro. A pedido da FOLHA DIRIGIDA, a professora Lilian Pimenta, do curso Degrau Cultural, desenvolveu argumentação de recurso sobre uma questão de Informática, segundo ela, passível de anulação – as orientações podem ser consultadas pelos ASSINANTES do site no anexo abaixo.

Na capital fluminense, onde cerca de 53 mil pessoas fizeram os exames, um dos locais foi a Universidade Estácio de Sá, no campus Praça Onze, no Centro do Rio. Na instituição, já era possível observar uma imensa fila do lado de fora, mesmo após a abertura dos portões, às 12h. Um dos candidatos na fila era o motorista de ônibus Adriano Borges. Morador de Benfica, na Zona Norte do Rio, o postulante disse que saiu de casa cedo para não se atrasar. “O motivo principal que fez com que eu me inscrevesse foi a estabilidade, e a aprovação nesse concurso será uma boa oportunidade, sem dúvida”, revelou.

A auxiliar de suprimentos Ana Paula Leite foi outra participante que decidiu se antecipar. Residente de Ricardo de Albuquerque, também na Zona Norte do Rio de Janeiro, a candidata contou que vem se preparando para o concurso da PM há cerca de quatro meses em um curso preparatório, e partilha, assim como Adriano, do mesmo desejo de conquistar a estabilidade empregatícia. “Caso eu seja aprovada, quero fazer faculdade de Direito. Além disso, também tentarei sempre galgar posições maiores dentro do serviço público”, disse, acrescentando que, mesmo com o número inferior de vagas para mulheres (600), está confiante de que será aprovada.

Devido ao grande número de candidatos do lado de fora na fila, aguardando para entrar, os portões foram fechados com quatro minutos de tolerância do horário previsto, ou seja, às 13h04. Após esse horário, alguns inscritos chegaram ao local. O primeiro deles, com dois minutos de atraso, foi o motorista Alex Costa. “Moro em Nilópolis, e o ônibus demorou para passar. O pior é que não tenho mais como fazer esse concurso de novo, pois tenho 30 anos, e a idade permitida para se inscrever é até os 31″, lamentou-se.

Com uma hora do início dos exames, já foi possível ver os primeiros participantes deixando o local. Entre eles, estava a técnica em patologia Amanda Cardoso, que fez uma reclamação. “As avaliações tiveram início às 13h20. Na minha sala, por exemplo, os fiscais começaram a entregar as provas e depois nos liberaram para resolvê-las. Algum tempo depois, entretanto, quando já havíamos iniciado, eles pediram para a gente parar, alegando que todos tinham que começar ao mesmo tempo. Houve má organização”, revelou a moradora do bairro Cosmos.

Será aprovado nesta etapa aquele que não zerar nenhuma disciplina e alcançar o mínimo de 50% dos pontos na soma das notas da avaliação objetiva e na redação. A segunda e terceira etapas, respectivamente, serão compostas por exames psicológico e antropométrico (avaliação feita através do Índice de Massa Corporal). Haverá ainda, posteriormente, um teste físico e exames toxicológico, médico e pesquisa social e documental. Durante o curso de formação, os futuros policiais receberão R$1.564,09 e, após a formatura, a remuneração chegará a R$2.909,50, incluindo gratificações e R$100 de auxílio-transporte. Também são pagas gratificações aos soldados que fazem curso de qualificação (R$350) e aos que trabalham em Unidade de Polícia Pacificadora (R$750).

Serviço
www.exatuspr.com.br

Na Baixada, registro de candidatos atrasados

Caio Lima

Em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, cerca de 30 candidatos do concurso da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PM-RJ) não conseguiram chegar a tempo e reclamaram que o motivo do atraso foi o endereço errado dado pela organizadora, a Exatus. Na ficha dos candidatos constava que o local do teste, o Ciep General Osório, fica na Estrada Adrianópolis, s/nº, porém, o endereço correto é Rua Arnaldo Barbosa, uma viela próxima que dá acesso a essa estrada. Um dos que não conseguiram achar o Ciep antes de os portões serem fechados, às 13h, foi Anton Benard Gerard Neto, de 27 anos, que saiu de Lote XV, na divisa entre Belford Roxo e Duque de Caxias. “Teve um engarrafamento muito grande e o local da minha ficha não bateu. Cheguei na Estrada de Adrianópolis às 12h10 e a percorri de cima abaixo, até que um motoboy me informou que esse Ciep não fica nela. Estou me sentindo lesado e já penso em abrir uma ação contra o concurso. Vou procurar um advogado primeiro e ver se cabe um recurso, e eu acho que sim. Só quero ter o direito de fazer a prova.”

Outra que se sentiu lesada e chorava muito do lado de fora do Ciep foi Bianca Coelho da Silva. “Parece que passaram o endereço errado, de sacanagem. Colocaram essa prova em um local de difícil acesso. Ainda assim, consegui chegar 13h, mas não me deixaram entrar. Estou muito triste, pois já tenho 29 anos e essa era a minha última chance de entrar na PM-RJ”. Bianca estava acompanhada de sua irmã, Mônica Coelho, que também estava revoltada do lado fora com a situação e o endereço errado. “A rua não confere. Como eles colocam o endereço errado? Queremos respeito.”

Quem conseguiu achar e chegou a tempo de entrar no Ciep General Osório avaliou o teste como fácil. Ao menos os que foram entrevistados pela reportagem da FOLHA DIRIGIDA na saída do local. Primeiro a sair do Ciep, com cerca de uma hora e meia após o início da prova, Antônio Queiroga, 25 anos, se dizia confiante na aprovação. “Foi uma prova sem mistérios. Quem estudou e se preparou, como foi o meu caso, tem grandes chances de passar. O mais difícil acredito que tenha sido a Redação, mas somente porque é onde se deve ter mais atenção”. Na opinião de outra candidata, Ana Oliveira, 27 anos, a prova estava “tranquila”. “Não senti muita dificuldade, somente um pouco em algumas questões de História e Sociologia. No geral, achei a prova mais fácil do que eu achava que ia ser. Gostei da redação da minha prova, que pediu para falar sobre o papel social da internet hoje em dia”. Já para Andreza de Oliveira, 22 anos, “foi muito fácil porque estava estudando há mais de um ano. Senti dificuldade só na Redação, mas estou segura de que posso ter uma boa colocação e ser aprovada.”

Fonte: Folha Dirigida

BANNERBLOG

 


Sobre o autor



One Response to PMERJ: Veja gabarito oficial e fundamentação para recurso

  1. Bruno Silva Pinto says:

    Olá conceituada instituição mestre dos concurso gostaria de saber se há alguma questão de geografia que cabe recurso,tendo essa possibilidade gostaria de pedir a sua ajuda para elaboração de recurso da tal,tendo o conhecimento de ótimos professores,desde já agradeço.!!

Back to Top ↑