Categorias no image

Publicado em 20/02/2013 | por Mestre

PRF

Inspetor no Tocatins diz que carreira exige Vocação…..
Antes de olhar para a remuneração atraente e as chances de crescimento dentro da instituição, os que pensam em prestar o concurso da Policia Rodoviária Federal (PRF) que será realizado este ano para preenchimento de 1.500 vagas, destinadas a todo o país, devem avaliar se possuem vocação para a profissão de policial, ou seja, se são capazes de lidar com situações adversas e estão dispostos a correr riscos para salvar vidas. Segundo o chefe substituto da PRF no Distrito do Amazonas Renê Santos Carvalho, isso evita eventual decepção posteriormente.
“Nós buscamos pessoas que saibam lidar com o público, que saibam desde atender a uma criança a lidar com situações de crise, e que também sejam corajosas e dinâmicas. É preciso ter vocação, o que implica em gostar da atividade de policial e  em estar disposto a expor a própria vida em favor dos outros, tendo em vista que você é essencial para a segurança das pessoas e está sendo chamado pelo Estado para garantir isso. Muitos olham somente para a remuneração oferecida e se esquecem de avaliar se possuem o perfil adequado, e mais tarde podem ficar insatisfeitos”, observou.
Entre as atribuições dos policiais rodoviários federais estão, no âmbito das rodovias federais, a fiscalização de estradas, o atendimento aos usuários e o combate à criminalidade, visando a proteger vidas e  a garantir o direito patrimonial das pessoas, segundo Renê. Embora alguns integrantes da corporação atuem na esfera administrativa, a maioria tem como local de trabalho as rodovias federais. A PRF apóia também a Receita Federal e os Ministérios Públicos. A legislação prevê uma carga de trabalho de 40 horas por semana, que, como explica René, normalmente é cumprida numa escala de 12×36 (trabalha 12 horas e folga 36).
“Há um companheirismo e um coleguismo muito intensos aqui dentro da PRF, os vínculos que se criam aqui são muito fortes; geralmente, os que ingressam pegam um carinho enorme pela instituição. A PRF é feita por todos e como todos gostam muito dela, realmente é um ambiente bastante agradável de se trabalhar. Apesar de todo o estresse de nosso trabalho, a PRF é uma instituição que procura dar condições de trabalho e logística ideais para os seus servidores”, elogiou.
Aos interessados em participar do próximo concurso da corporação, a dica de René Santos, que é formado em Direito e também responde pela comunicação social do distrito do Amazonas, é estudar de acordo com os editais dos últimos três concursos da instituição, pois, segundo ele, o conteúdo do próximo concurso não irá variar muito disso, devendo priorizar a matéria que tem o maior peso.
“Estudem muito, já que a concorrência é muito grande, e não deixem que o sonho de ingressar na PRF enfraqueça com as dificuldades, é preciso persistir mesmo. Não deixem de estudar o que caiu nos últimos concursos e todas as normativas relacionadas ao trânsito”, orientou.
Fonte: Folha Dirigida

Tags: , , , , , , ,


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑