Dicas no image

Publicado em 18/01/2013 | por Mestre

Segurança Pública

Muitas vagas na área de segurança pública….

A área de segurança pública está muito aquecida neste início de ano: os concursos  oferecem no total mais de 13 mil vagas a serem preenchidas por quem estiver bem preparado. Só nesta quarta-feira (16) foram lançados dois novos editais para 700 vagas de agente de segurança - 500 no Espírito Santo e 200 em São Paulo. O candidato que escolhe essa área de concurso tem um perfil bastante específico: mesmo que concorra a algum cargo administrativo, costuma preferir órgãos envolvidos com a atividade policial, cujos desafios exercem grande atração.

Os salários e níveis de exigências variam de um cargo para outro e de cargos similares em um estado (polícia civil, militar e bombeiro) ou município (guarda municipal) para outro. Até mesmo os requisitos exigidos, como nível de escolaridade, idade máxima e altura mínima podem variar, desde que estejam estabelecidos na lei que rege o cargo naquela unidade da federação. Naturalmente, melhores remunerações costumam corresponder a maiores exigências quanto a escolaridade e conteúdo programático.

A evolução da sociedade demanda que a segurança pública seja exercida cada vez mais com respeito aos direitos humanos e de acordo com os ditames da lei. Para isso são necessários servidores bem preparados técnica e psicologicamente. Observamos que os concursos públicos têm traduzido essa tendência, elevando os níveis de escolaridade exigidos e ampliando os conhecimentos necessários, incluindo direitos humanos e afins para cargos da polícia militar e disciplinas de direito na maioria dos editais para a polícia civil.

Isso é, de certa forma, uma maneira de a administração pública selecionar candidatos com perfil alinhado com essa nova política. Exceção surpreendente a isso é o estado de São Paulo, que ainda exige apenas nível fundamental de escolaridade para os seus agentes da polícia civil e bombeiros militares, e o edital atual para a Polícia Militar do Espírito Santo, que cobra apenas conhecimentos de português e matemática.

Praticamente todos os concursos incluem redação.

O conhecimento de leis relacionadas à atividade também vem sendo cobrado na maioria dos concursos.

Vale lembrar que os concursos para a polícia, exatamente em razão do tipo de atividade, têm características próprias. A maioria exige altura mínima e idade máxima para o candidato poder concorrer (os concursos federais, como PF, PRF e ABIN não exigem).

Além disso, o teste de aptidão física e o curso de formação fazem parte das etapas para a aprovação dos futuros policiais, que também serão submetidos a avaliações médicas (com teste antidrogas) e psicológicas mais rigorosas do que em outros concursos. A conduta do candidato em sua vida (investigação social e sindicância da vida pregressa) também é analisada para verificar se está ou não condizente com a futura atividade.

É bastante comum ser exigida habilitação para dirigir veículos automotores na categoria B, no mínimo.

Muitos editais não sugerem bibliografia, mas o candidato que sentir necessidade pode consultar edital de outro estado/município para buscar referência bibliográficas, lembrando que são apenas indicativas de fontes de estudo. Já as leis federais podem ser encontradas na página www.planalto.gov.br.

Fonte: Lia Salgado, colunista do G1, é fiscal de rendas do município do Rio de Janeiro, consultora em concursos públicos.

Tags: , , , , , ,


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑