Administrativa no image

Publicado em 19/06/2012 | por Mestre

TRE/RJ

Candidatos Ansiosos
Após a divulgação do edital, os interessados em participar do concurso para técnico judiciário (nível médio) e analista judiciário (superior) do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) contam os dias que faltam para as inscrições: o prazo começa às 10h desta sexta-feira, 22, seguindo até o dia 13 de julho. O candidato poderá se inscrever no site do Cespe/UnB, organizador, imprimindo o boleto para quitar a taxa em qualquer agência bancária, até o dia 26 de julho. Os valores são de R$50 para técnico e R$65 para analista. Um dos atrativos desta seleção é a contratação através do regime estatutário, garantindo a estabilidade empregatícia dos novos servidores.
O vencimento inicial da função de técnico é de R$4.762,96. Já os analistas, recebem R$7.321,39, inicialmente. Em ambas as remunerações estão incluídos os R$710 do auxílio-alimentação. Os nomeados terão direito, ainda, a auxílio pré-escolar (de R$561 por dependente menor de 6 anos) e reembolso de até R$120 mensais, por dependente, com gastos do plano de saúde.
O concurso é, inicialmente, para 19 vagas imediatas, sendo dez para técnico e nove para analista, além de formação de cadastro de reserva. Os aprovados poderão ser convocados ao longo de toda a validade da seleção, que é de dois anos, podendo ser prorrogada por igual período. Apesar de o número de oportunidades imediatas não ser grande, o TRE-RJ costuma convocar muitos aprovados ao longo da validade de seus concursos.
No caso de técnico, a oferta contempla as áreas administrativa e de apoio especializado (programação de sistema e operação de computador). Já para analista, as oportunidades são para as áreas judiciária, administrativa sem especialidade, administrativa /Contabilidade e apoio especializado (Análise de Sistemas, Arquitetura, Engenharia Civil e Engenharia Elétrica). A área judiciária requer formação em Direito. Já para a área administrativa, vale qualquer graduação, exceto a de Contabilidade, que requer formação específica. Já para apoio especializado, é necessário que o interessado tenha nível superior na respectiva área.
Tradição de muitas chamadas

Apesar de ser um concurso bastante aguardado, muitos concurseiros desanimaram de participar da seleção para o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) devido ao pequeno número de vagas (19), o que é um erro, como alertam professores especializados. Isso porque a probabilidade é enorme de que seja convocado um quantitativo bem maior do que o oferecido inicialmente ao longo da validade do concurso, visto que o TRE-RJ é um órgão que, tradicionalmente, convoca muitos integrantes do cadastro de reserva. Na última seleção, realizada pelo tribunal em 2006, o edital trazia 435 vagas, inicialmente.
No entanto, foram efetuadas 594 convocações, sendo 342 técnicos judiciários e 252 analistas judiciários, em várias especialidades. Na ocasião, o maior número de convocados foi para o cargo de técnico judiciário da área administrativa, em que foram chamados 328 aprovados, sendo 17 deles portadores de deficiência. Na área de apoio especializado ocorreram 12 convocações. Já na de serviços gerais, o quantitativo foi de seis. Para analista judiciário da área judiciária, houve 156 convocações. Na área administrativa, foram 84 e, na de apoio especializado, 12.

Maioria só faz prova objetiva

Os futuros candidatos a técnicos e analistas judiciários do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) serão submetidos a uma etapa única de processo seletivo, que constará de prova objetiva, além de avaliação discursiva, somente para alguns cargos específicos. As provas acontecerão no dia 26 de agosto, com 120 questões de múltipla escolha, sendo 50 de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos, para todas as funções disputadas. Os candidatos a uma vaga de analista judiciário (todas as áreas) e a técnico judiciário na área de apoio especializado (programação de sistemas) terão de fazer, também, uma avaliação discursiva, nessa mesma data.

Entre as disciplinas que serão cobradas em Conhecimentos Básicos estão Língua Portuguesa, Noções de Legislação, Atualidades, Noções de Arquivologia, Noções de Informática e Raciocínio Lógico. Já em Conhecimentos Específicos, o campo é mais abrangente e inclui grande variedade de matérias. Estão entre elas as disciplinas de Contabilidade Geral, Contabilidade Governamental, Matemática Financeira, Gestão e Governança de TI, Segurança da Informação, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Eleitoral, Direito Civil, Direito Processual Civil, Direito Penal e Direito Processual Penal.
Cada item da prova objetiva valerá um ponto, totalizando 120. Será considerado reprovado o candidato que obtiver nota inferior a 20 pontos na avaliação de múltipla escolha de Conhecimentos Básicos (Parte 1), bem como o que obtiver nota inferior a 33 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Específicos (Parte 2) ou, ainda, obtiver nota inferior a 57 pontos no conjunto das provas objetivas.
O exame discursivo valerá dez pontos e consistirá na elaboração de texto, de no máximo 30 linhas, podendo abordar qualquer uma das disciplinas contidas no edital. Nesta avaliação, diversos fatores poderão fazer com que o concorrente perca pontos: no caso de fuga do tema, de não haver texto ou de a identificação estar em local indevido, o participante receberá nota zero. Outro fator que contará bastante na hora da nota, é a apresentação e a estrutura textual, bem como o desenvolvimento do tema, erros de ortografia e o número correto pré-estabelecido de linhas, entre outras questões.
Fonte: Folha Dirigida

Tags: , , , ,


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑