Judiciária no image

Publicado em 08/04/2011 | por Mestre dos Concursos

Tribunal Regional Eleitoral PE.

Quem sonha em ingressar no Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) recebe uma excelente notícia: já está formada a comissão para realização do novo concurso para técnico e analista judiciários. Sob presidência de Francisco de Queiroz Bezerra Cavalcanti, os magistrados Carlos Damião Pessoa Costa Lessa e Stênio José de Sousa Neiva Coêlho farão o levantamento das carências para definir a oferta de vagas. De acordo com portaria nº 222, publicada no Diário da Justiça de Pernambuco do último dia 25 e assinada no dia 24, os membros terão 30 dias para concluírem o estudo.

Outra informação importante é que o recurso interposto pela Fundação Conesul, responsável pela organização do concurso anulado, foi julgado e indeferido. Com isso, o tribunal já está fazendo a análise técnica para devolução das taxas, segundo informou o presidente da comissão da seleção de 2010, Marco Capella.

“Estamos aguardando o departamento financeiro finalizarem as contas para podermos ressarcir as taxas. Pretendemos receber os pedidos de devolução através do nosso site, e depositarmos as quantias em conta corrente para os candidatos. Mas esses detalhes técnicos ainda estão vistos”, disse Capella.

Conforme o tribunal, a oferta deverá superar as 16 vagas abertas no edital anterior e, além disso, haverá formação de cadastro de reserva, o que possibilitará a convocação de mais aprovados durante a validade. As remunerações, contudo, permanecerão: para técnico judiciário, que requer nível médio, os ganhos serão de R$4.572,16 mensais; para analista judiciário, cuja escolaridade mínima é o ensino superior, de R$7.130,59. Os valores são compostos pelos respectivos vencimentos, acrescido do auxílio-alimentação, de R$519,20.

Embora cancelado, o programa do último concurso é considerado por especialistas como o melhor para quem quer começar a estudar, tendo em vista que está atualizado e está de acordo com o exigido por outros tribunais eleitorais.

Na prova objetiva, primeira fase da seleção, foram cobradas 20 questões de Conhecimentos Básicos (Língua Portuguesa, Noções de Informática e Raciocínio Lógico, na parte de Conhecimentos Básicos) e 40 de Conhecimentos Específicos, que versavam sobre diversas áreas do Direito, de acordo com o cargo pretendido.

Os candidatos a analista foram submetidos, ainda, a uma redação, enquanto os concorrentes ao cargo de técnico judiciário especializado em taquigrafia teriam, em uma segunda etapa, que passar por teste prático.

Em 15 de março de 2010, após mais de 800 denúncias em várias instituições, foi anulado integralmente o concurso para o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), que conctou 86.509 inscritos.

As reclamações diziam respeito à aplicação das provas objetivas, que ocorreram no dia 17 de janeiro daquele ano. A principal reivindicação fazia referência ao uso de telefone celular dentro das salas de prova. Também foi constatada a falta de fiscalização nos banheiros, envelopes com provas violados e, em alguns locais, atraso de mais de uma hora.

FONTE: Folha Dirigida

Tags: , , , ,


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top ↑